Na Construção em Famílias, famílias ou grupos de amigas e amigos participam juntas e juntos da construção de uma moradia de emergência em comunidades em situação de pobreza. Esse grupo também viabiliza financeiramente o trabalho do TETO, doando no mínimo R$8.000,00, sendo o grupo total responsável pela captação dos valores.

TETO é uma organização presente na América Latina e Caribe que busca superar a situação de pobreza em que vivem milhões de pessoas em favelas precárias, por meio do engajamento comunitário e mobilização de jovens voluntárias e voluntários. Com a implementação de um modelo de trabalho focado em atividades conjuntas entre voluntárias/os e moradoras/es de favelas, o TETO busca construir moradias mais dignas e envolver toda comunidade em projetos de infraestrutura para seus territórios.

Há 10 anos no Brasil, a organização já trabalhou em mais de 100 comunidades, construiu mais de 3.000 casas emergenciais, desenvolveu 26 projetos comunitários e mobilizou mais de 45 mil voluntários.

O TETO é uma organização apartidária que se financia através de doações de empresas e pessoas físicas. Com sua contribuição, você não só passa a fazer parte do movimento por uma sociedade mais justa e sem pobreza, como também assume um papel importante no apoio ao trabalho do TETO, garantindo o impacto de suas ações junto às famílias mais vulneráveis de nossa sociedade.

Nossa equipe é formada por jovens que veem no trabalho em conjunto um valor chave para a superação das desigualdades. Contribua com qualquer valor e nos ajude a construir com moradoras e moradores um novo sonho. Esperamos que a sua contribuição faça a diferença!

Nos dias 05 e 06 de maio, o TETO Bahia vai trabalhar com famílias em comunidades de Salvador e região metropolitana. Para tornar esse sonho possível, nosso grupo precisa da sua ajuda para viabilizar uma das casas a serem construídas.

A casa de emergência do TETO é um modelo pré-fabricado de 18 metros quadrados construída em dois ou três dias com a participação massiva de voluntárias/os de dentro e fora da comunidade. Doze estacas de madeira elevam e sustentam a estrutura da casa evitando, assim, a entrada de água da chuva, umidade e animais nocivos.

O processo de construção gera um encontro entre duas realidades marcadas pela desigualdade, promovendo uma reflexão crítica e propositiva frente à problemática da pobreza em nossa sociedade, além de promover a mobilização comunitária.